Feliz Natal !



FELIZ NATAL!

Te amo.


Eu lembro do primeiro oi. De quando eu peguei o numero do seu celular e das mensagens até a madrugada. De você namorando e logo depois terminando. Lembro de você tentando ter algo com outra menina (uma menina que eu não gosto u.u') e depois me contando porque não havia dado certo entre vocês. Então houve algo entre a gente que eu fui muito idiota de terminar, poderia ter evitado tanta coisa... E então o tempo se passou e você voltou com ela. E eu então passei a ser tua amiga. Lembro me de falar que você não passava mais o intervalo comigo e que estava com ciumes. Risos. Lembro me das noites frias abraçadas com você, naquele cantinho, apenas conversando contigo. Você me contando varias coisas e eu dando minha opinião. Eu lembro de quando te vi chorar. Foi horrível. Uma parte de mim também chorava por ti, odiei te ver triste. Fiz de tudo para te acalmar, se te ajudei de alguma forma aquela noite, foi um milagre, não sou boa em fazer isso. E o tempo se passou e aquelas antigas mensagens voltaram. Lembro me de você dizendo que brigava todo dia com sua namorada e que não aguentava mais e eu sempre dizendo que tudo ia ficar bem, era só respirar fundo. Lembro quando me disse que terminou com ela e que você estava mal. Queria ir até onde você estava e te abraçar, te beijar e enxugar suas lagrimas, tudo iria ficar bem. E agora, olha como estamos. Pergunto como você está todo dia, se dormiu bem, se já fez a refeição e o que está fazendo porque me preocupo. Porque só quero teu bem. Porque te amo. Lhe peço desculpas por nem sempre a gente conseguir se ver. Sinto saudades sua agora e queria te ter aqui, do meu lado, bem agora e todo instante. Eu lembro que te fiz uma promessa, que nunca iria te abandonar. Eu prometo que nunca vou te abandonar, que ficarei contigo pra sempre, até o para sempre acabar. Te amo

Dezembro de 2011



Esperar. Coração a mil. Movimentos na coxia. A luz se apaga e logo acende. A musica começa a tocar: hora de entrar no palco. Respiração acelerada, coração "saindo pela boca" e o máximo de concentração. Agora não é hora de errar. Deixo a musica me levar, movimentos leves e precisos. Sorriso no rosto. Logo fico mais calma, é tão bom estar ali no palco. A musica vai acabando, a luz se apagando e finalmente: aplausos. Missão cumprida. Na coxia, todos sorriem um para o outro, querendo dançar novamente. E assim foram minhas noites,onze e doze de dezembro, de 2011.