Batom Vermelho

Atrás da mascara de ferro, havia um batom vermelho;
Havia um olho com lágrimas.
Uma duvida oculta e um desejo ardente.
Um problema era o problema.
Havia também um sorriso.
Um amor escondido.
E com um aperto no peito, ela trilhava seu caminho de outro jeito.

Raphaela Barreto
Junho


Felicidade

O céu lá fora sorri para mim enquanto os matineiros raios solares me aquecem. O mundo parece tão grande, mas tudo o que preciso está perto de mim. Resolvo então fazer as pazes com a vida e sorrir sem motivo nenhum, existe beleza ainda nesse caos chamado Terra. Existe ainda coisas simples para se ver, mas de beleza tão complexa. Temos sentimentos para sentir que por eles daria minha vida e tenho vida em minhas mãos. Quero pegar um violãozinho, acender uma fogueira e por entre as fumaças rir, porque eu sei que tudo está bem. Eu sei que sorrir com a alma é maravilhoso, e que a felicidade contagie todos.

Raphaela Barreto
Maio

Vazio

Ela queria gritar, mas o som preso na garganta não seria ouvido por ninguém.  Tantas pessoas ao redor e mesmo assim vazia. Tantas pessoas ao lado dela, mas mesmo assim invisível. Tudo o que queria estava inalcançável e o amor já parecia distante no horizonte de uma noite que vem e jamais vai embora. Ah, quem dera pudesse sentir alguma coisa novamente, acreditar que um dia as coisas ficam bem, mas o nada é melhor que a dor, e em quesito de vazio ela entendia muito bem.

Raphaela Barreto
Abril

Noite

O céu estava negro e só metade da lua dava as caras, o vento era cortante e o silêncio absoluto se não fosse pela musica escutada. Sombras eram mescladas em meio à escuridão. São momentos assim ótimos para refletir e pensar até a loucura aparecer, porque pensar demais enlouquece. Tenho medo ainda do futuro, mas nada que não consiga suportar sozinha, em meio à solidão aprendemos a caminhar com os próprios pés e o silêncio já não passa a ser tão ruim, quase como um amigo, e faço então das palavras de Lispector as minhas: “Minha força está na solidão. Não tenho medo nem de chuvas tempestivas nem de grandes ventanias soltas, pois eu também sou o escuro da noite”.



Raphaela Barreto
Março

Amor - As vantagens de ser Invisivel

Amar é se doar para alguém, lhe entregando seu coração e confiar que a pessoa irá cuidar sem despedaça-lo. Estar apaixonado é ir dormir pensando na pessoa e acordar com a certeza de que tem alguém para chamar de “meu”. Os humanos não foram feitos para ficarem sozinhos, todos precisam se sentir completos mesmo quando se sentem bem pela metade. Mais uma vez tudo isso parece clichê, mas cite algo que não seja clichê quando o assunto é amor? O amor é quase que banal, é arte e é simples, mas nem todos são artistas e complicado chega a ser nosso nome do meio. “Nós só aceitamos o amor que achamos merecer” – As vantagens de ser Invisível.

Raphaela Barreto
Feveieiro

Amor

Olhei-o e nossos olhares se encontraram, eu estava sorrindo e a expressão dele era tranquila. Ele estava bem ali na minha frente, mas a distância era infinita. Queria quebrar aquela barreira, colocar a cabeça dele no meu colo e lhe fazer carinho. Olhar em seus olhos e deslizar suavemente minha mão pelo seu rosto. Queria cuidar dele. E observando o cenário em que me encontrava, o que mais queria mesmo, era estar dentro do abraço dele, sentindo me protegida e esquecer todos os problemas mundanos. Lagrimas me vieram aos olhos, mandei elas recuarem, mas tarde lidaria com elas, agora não. Continuei a sorrir enquanto por dentro uma tempestade ia se formando. Maldita saudade, lembranças e nostalgia

Raphaela Barreto
Janeiro

Retrospectiva 2013

Olá leitores,

A partir de amanhã estarei fazendo  uma retrospectiva deste ano, vou postar os textos de cada mês que foram mais lidos. Relembro momentos, sentimentos, falhas e vitórias. Se algum momento foi especial para você e você o transformou em texto, só colocar o link do texto no comentário que eu estarei publicando aqui com seus créditos. 

Um ótimo 2014 a todos! 
Que momentos felizes venham com mais frequência. 

É tudo cópia da cópia

Ela era mais uma dessas que usava camiseta de banda só porque estava "na moda", nem sequer conhecia, apenas usava. Ela era mais uma dessas que ia se sentar na calçada para ver as pessoas que passavam para dizer "nossa que cabelo horrível e que barriga é essa", mas parecia não se lembrar que já estava usando calças tamanho 42. Ela era mais uma dessas, que tinha que ter aquele anel igual à vilã da novela das oito. Ela era mais uma dessas que era demasiado simpática com todos, pois, gostava de ser adorada. Ela era mais uma dessas que não podia se ver sozinha, sempre estava de namorado novo, mas se aquela lá, aquela ruiva do trabalho fosse vista com outro cara, "nossa que puta", ela diria. Ela era mais uma dessas que sentia pena das crianças de rua, mas o armário transbordava de roupas (ainda com etiquetas) que nunca seriam usadas. Ela era mais uma dessas que se dizia sem preconceitos, mas não beijava negros e homossexuais eram criaturas abomináveis. Ela era mais uma dessas que estava todo domingo na igreja e toda sexta naquele barzinho fazendo fofoca de todos que conhecia. Ela era mais uma dessas que tratava o corpo e esquecia-se do cérebro. Enfim, ela era mais uma dessas, sabe? Mais uma dessas que se dizia diferente.


Aquele dia


Aquele dia que você acorda sorrindo, de bem com a vida, dizendo olá para todos e rindo de tudo. Aquele dia que mesmo o céu estando cinzento você não liga, porque se chover, a gente se molha sem problema nenhum. Aquele dia que se algo der errado, é só consertar, sem neuras. Que te dá vontade de conversar com todo mundo e ajudar alguém. Que da vontade de dançar, cantar e pular. Abraçar quem você ama, sentir o vento e agradecer a Deus. Ah esses dias, que venham com frequência em nossas vidas. 

Raphaela Barreto

O tempo


- Ah, o tempo!
Mal desponta a noite
e já passaram séculos...


André Foltran, do blog Caderno.
Ganha meu selinho de recomendação.

Numa moldura clara e simples, sou aquilo que se vê?

No escuro adormecem os sonhos

que realizo quando todos dormem.
Procuro antônimos para sentimentos
que não se adequam ao contexto.
Ando fadigado sobre os pedregulhos 
enquanto bolhas de sabão estouram aos meus olhos.
Distribuo sorrisos cordiais
enquanto lágrimas salgadas enchem o mar.
Vivo ereto, "sim, está tudo bem"
mas o semblante mente.
E me pergunto, inocente
por que é assim a vida da gente? 


Tic-toc

Tic-toc
Toc-tic

Passa o tempo,
Está crescendo,
Quem será?
Para onde irá?
Direita ou esquerda?
Reto ou curvas?
Não sabe.
Estranho,
Logo ela que sempre soube de tudo.
Que planejou a vida,
Que quis ver tudo sendo cumprido.
Engraçado.
A beira de decisões grandes,
As pessoas se perdem,
Como ela se perdeu,
E quer se achar
Para planejar
A vida.

De novo.

Raphaela Barreto 

Mistério

“[...] Mas o coração é um mistério, e eu jamais vou entender o que aconteceu. O que sei é que aquele encontro me deixou mais confiante em mim mesma, mostrando que eu ainda era capaz de amar e ser amada, e me ensinado algo que nunca vou esquecer: quando você encontrar uma coisa importante na vida, não quer dizer que precise renunciar a todas as outras.”
Paulo Coelho,

Brida.

Amor


“[...] Porque quando se apaixonava, era capaz de aprender tudo, e conhecer coisas que nem ousava pensar, porque o amor era a chave para a compreensão de todos os mistérios. [...]”.
Paulo Coelho,
Brida


Natureza


Gosto do vento passando por mim, da forma como as borboletas voam e os pássaros cantam. Gosto de observar o sol nascer e se pôr, a coloração do céu, as formas das nuvens. Gosto de admirar os animais, ouvir o barulho dos rios, sentir cheiro da grama cortada e a terra molhada. Estremeço ao ouvir um trovão, durmo tranquila em uma tempestade, sorrio quando o céu está azul. O universo é perfeito. Gosto da natureza porque ela me faz bem. Gosto da natureza porque eu também sou ela. 

Raphaela Barreto

Mudar


Perceba cada detalhe do dia-a-dia,
Uma pequena flor em uma esquina,
Um pássaro em cima do fio.
Olhe para os olhos das pessoas e suas posturas,
Observe o sorriso de uma criança e sorria para um idoso.
Encare o céu e deixe sua alma falar por você,
Ouça o uivo do vento e o latido de um cachorro.
Ande por lugares diferentes,
Trace novas rotas,
Escolha caminhos mais longos ou mais curtos.
Sinta a vibração a sua volta,
Seja gentil e ande com a cabeça erguida.
Escreva um poema,
Leia um texto,
Compre um livro.
Coma chocolate e beba um suco.
Faça o que você não faria
E faça o que você já está acostumado a fazer,
Mas não deixe o hábito virar rotina.
Sorria.
Mude a vida de outros.

Mude a sua própria vida. 

Raphaela Barreto