Escritora barata

O vento lá fora uivava
O frio cobria as árvores
E nós nos vestíamos de calor

A lareira acesa estava
O café não esfriava
E nos cobríamos de amor

Nas tardes ensolaradas
Nas noites escuras
Um bom som no violão rolava
Você tocava e eu cantava
Às vezes até dançava

Abraços, risos, velhos sentimentos
Sorriso estampado nos olhos
E não havia dor no peito
Caminhávamos juntos vivendo o momento

E se com atenção você perceber
No passado escrevi
Porque há meses o caminho sozinha segui

Eu, o pôr do sol e o skate sobre os pés
Nada mais importava a não ser a maré
Aqui me despeço então
Sem ter mais você no coração

Inspiração


Papéis espalhados sobre a mesa, rascunhos de dias atrás.
O notebook está ligado numa página em branco esperando para ser digitada.
O café esfria do lado para não queimar-me a boca.
Não posso dormir.
As ideias surgem.
O sorriso aparece.
E o desejo insaciável de escrever toma forma em minhas mãos.
Finalmente, a inspiração.

Raphaela Barreto

Vazio


Mas o que ele disse para uma, está dizendo para a outra. Seria fácil de acreditar que tudo está bem, mas não está. Mas isso não é da minha parte, pois maravilhosamente bem, estou. Ele vai cometer o mesmo erro do passado, vai se apaixonar em promessas de um coração vazio, vai lançar sorrisos vãos ao vento. Vai sentir o calor de um coração amante e vai se corroer pela indiferença de seu próprio. Vai fingir amar, não vai mudar e novamente vai perder. Um coração vazio, frio, calculista e ignorante jamais muda – não é difícil de aceitar a verdade.

Mudança

“Não pode ficar ai sentado, esperando que o novo mundo venha buscá-lo. Você tem que sair para fazer parte dele... Apesar de seus erros do passado”.
 - A menina que Roubava Livros.

Mulher


“Mulher não desiste, se cansa. A gente tem essa coisa de ir até o fim, esgotar todas as possibilidades, pagar pra ver. A gente paga mesmo. Paga caro, com juros e até parcelado. Mas não tem preço sair de cabeça erguida, sem culpa, sem “E se”. A gente completa o percurso e às vezes fica até andando em círculos, mas quando a gente muda de caminho, meu amigo, é fim de jogo pra você. Enquanto a gente enche o saco com ciúmes e saudade, para de reclamar e agradece a Deus! Porque no dia que a gente aceitar tranquilamente te dividir com o mundo, a gente não ficou mais compreensiva, apenas paramos de nos importar, já era. Quem ama, cuida! E a gente cuida até demais, mas dar sem receber é caridade, não carinho! A gente entende e respeita seu jeito, desde que você supra pelo menos o mínimo das nossas necessidades, principalmente emocionais, porque carne tem em qualquer esquina. Vocês nem sempre sabem, mas além de peito e bunda, a gente tem sentimentos, quase sempre a flor da pele. Somos damas, somos dramas, acostumem-se. Mulher não é boneca inflável, só tem quem pode! Levar muitos corpos pra cama é fácil, quero ver aguentar o tranco de conquistar corpo e alma, até o final.”.

— Tati Bernardi

Batom vermelho

Atrás da mascara de ferro, havia um batom vermelho;
Havia um olho com lágrimas.
Uma duvida oculta e um desejo ardente.
Um problema era o problema.
Havia também um sorriso.
Um amor escondido.
E com um aperto no peito, ela trilhava seu caminho de outro jeito.

Raphaela Barreto

Cartas para ninguém


Ela não te entende como eu entendo, não te faz sorrir como eu fazia. Não sabe sua banda preferida, não conhece as musicas que você toca e não sabe te fazer dormir a noite. Não te conhece nas madrugadas gélidas e não sabe quem é você sobre a luz quente do sol. Ela não sabe fazer você se sentir bem, ela não sabe sentir o ritmo descompassado de seu coração grande. Ela não sabe e nunca vai aprender e você vai se cansar de dar chances a ela. Meu amigo, de nada adianta querer beijos de alguém que não possa te amar, de nada adianta receber carinhos de um coração gelado e vazio enquanto o seu próprio arde em carência e aspira por calor humano.

Passado


Olha-lo e não poder toca-lo já não era problema para mim, mesmo com as lembranças passando vez ou outra como flashes em minha mente. Sorri ao olha-lo nos braços de outra, porque naquele momento a felicidade de todos era o que importava. Todos esquecem que o “para sempre” sempre acaba e então cada um toma um rumo diferente, vez ou outra se encontrando numa esquina enlameada com lembranças na parede. A vida tem um jeito estranho de nos ensinar as coisas.

Melhor


- Por que você gosta dele?
- Porque ele me faz querer ser uma pessoa melhor.
- E você já não é boa?
- Não o suficiente, meu passado não tem uma história feliz, mas sempre podemos mudar, sempre podemos ser melhores.
Raphaela Barreto