Batom Vermelho

Atrás da mascara de ferro, havia um batom vermelho;
Havia um olho com lágrimas.
Uma duvida oculta e um desejo ardente.
Um problema era o problema.
Havia também um sorriso.
Um amor escondido.
E com um aperto no peito, ela trilhava seu caminho de outro jeito.

Raphaela Barreto
Junho


Felicidade

O céu lá fora sorri para mim enquanto os matineiros raios solares me aquecem. O mundo parece tão grande, mas tudo o que preciso está perto de mim. Resolvo então fazer as pazes com a vida e sorrir sem motivo nenhum, existe beleza ainda nesse caos chamado Terra. Existe ainda coisas simples para se ver, mas de beleza tão complexa. Temos sentimentos para sentir que por eles daria minha vida e tenho vida em minhas mãos. Quero pegar um violãozinho, acender uma fogueira e por entre as fumaças rir, porque eu sei que tudo está bem. Eu sei que sorrir com a alma é maravilhoso, e que a felicidade contagie todos.

Raphaela Barreto
Maio

Vazio

Ela queria gritar, mas o som preso na garganta não seria ouvido por ninguém.  Tantas pessoas ao redor e mesmo assim vazia. Tantas pessoas ao lado dela, mas mesmo assim invisível. Tudo o que queria estava inalcançável e o amor já parecia distante no horizonte de uma noite que vem e jamais vai embora. Ah, quem dera pudesse sentir alguma coisa novamente, acreditar que um dia as coisas ficam bem, mas o nada é melhor que a dor, e em quesito de vazio ela entendia muito bem.

Raphaela Barreto
Abril

Noite

O céu estava negro e só metade da lua dava as caras, o vento era cortante e o silêncio absoluto se não fosse pela musica escutada. Sombras eram mescladas em meio à escuridão. São momentos assim ótimos para refletir e pensar até a loucura aparecer, porque pensar demais enlouquece. Tenho medo ainda do futuro, mas nada que não consiga suportar sozinha, em meio à solidão aprendemos a caminhar com os próprios pés e o silêncio já não passa a ser tão ruim, quase como um amigo, e faço então das palavras de Lispector as minhas: “Minha força está na solidão. Não tenho medo nem de chuvas tempestivas nem de grandes ventanias soltas, pois eu também sou o escuro da noite”.



Raphaela Barreto
Março

Amor - As vantagens de ser Invisivel

Amar é se doar para alguém, lhe entregando seu coração e confiar que a pessoa irá cuidar sem despedaça-lo. Estar apaixonado é ir dormir pensando na pessoa e acordar com a certeza de que tem alguém para chamar de “meu”. Os humanos não foram feitos para ficarem sozinhos, todos precisam se sentir completos mesmo quando se sentem bem pela metade. Mais uma vez tudo isso parece clichê, mas cite algo que não seja clichê quando o assunto é amor? O amor é quase que banal, é arte e é simples, mas nem todos são artistas e complicado chega a ser nosso nome do meio. “Nós só aceitamos o amor que achamos merecer” – As vantagens de ser Invisível.

Raphaela Barreto
Feveieiro

Amor

Olhei-o e nossos olhares se encontraram, eu estava sorrindo e a expressão dele era tranquila. Ele estava bem ali na minha frente, mas a distância era infinita. Queria quebrar aquela barreira, colocar a cabeça dele no meu colo e lhe fazer carinho. Olhar em seus olhos e deslizar suavemente minha mão pelo seu rosto. Queria cuidar dele. E observando o cenário em que me encontrava, o que mais queria mesmo, era estar dentro do abraço dele, sentindo me protegida e esquecer todos os problemas mundanos. Lagrimas me vieram aos olhos, mandei elas recuarem, mas tarde lidaria com elas, agora não. Continuei a sorrir enquanto por dentro uma tempestade ia se formando. Maldita saudade, lembranças e nostalgia

Raphaela Barreto
Janeiro

Retrospectiva 2013

Olá leitores,

A partir de amanhã estarei fazendo  uma retrospectiva deste ano, vou postar os textos de cada mês que foram mais lidos. Relembro momentos, sentimentos, falhas e vitórias. Se algum momento foi especial para você e você o transformou em texto, só colocar o link do texto no comentário que eu estarei publicando aqui com seus créditos. 

Um ótimo 2014 a todos! 
Que momentos felizes venham com mais frequência. 

É tudo cópia da cópia

Ela era mais uma dessas que usava camiseta de banda só porque estava "na moda", nem sequer conhecia, apenas usava. Ela era mais uma dessas que ia se sentar na calçada para ver as pessoas que passavam para dizer "nossa que cabelo horrível e que barriga é essa", mas parecia não se lembrar que já estava usando calças tamanho 42. Ela era mais uma dessas, que tinha que ter aquele anel igual à vilã da novela das oito. Ela era mais uma dessas que era demasiado simpática com todos, pois, gostava de ser adorada. Ela era mais uma dessas que não podia se ver sozinha, sempre estava de namorado novo, mas se aquela lá, aquela ruiva do trabalho fosse vista com outro cara, "nossa que puta", ela diria. Ela era mais uma dessas que sentia pena das crianças de rua, mas o armário transbordava de roupas (ainda com etiquetas) que nunca seriam usadas. Ela era mais uma dessas que se dizia sem preconceitos, mas não beijava negros e homossexuais eram criaturas abomináveis. Ela era mais uma dessas que estava todo domingo na igreja e toda sexta naquele barzinho fazendo fofoca de todos que conhecia. Ela era mais uma dessas que tratava o corpo e esquecia-se do cérebro. Enfim, ela era mais uma dessas, sabe? Mais uma dessas que se dizia diferente.


Aquele dia


Aquele dia que você acorda sorrindo, de bem com a vida, dizendo olá para todos e rindo de tudo. Aquele dia que mesmo o céu estando cinzento você não liga, porque se chover, a gente se molha sem problema nenhum. Aquele dia que se algo der errado, é só consertar, sem neuras. Que te dá vontade de conversar com todo mundo e ajudar alguém. Que da vontade de dançar, cantar e pular. Abraçar quem você ama, sentir o vento e agradecer a Deus. Ah esses dias, que venham com frequência em nossas vidas. 

Raphaela Barreto

O tempo


- Ah, o tempo!
Mal desponta a noite
e já passaram séculos...


André Foltran, do blog Caderno.
Ganha meu selinho de recomendação.

Numa moldura clara e simples, sou aquilo que se vê?

No escuro adormecem os sonhos

que realizo quando todos dormem.
Procuro antônimos para sentimentos
que não se adequam ao contexto.
Ando fadigado sobre os pedregulhos 
enquanto bolhas de sabão estouram aos meus olhos.
Distribuo sorrisos cordiais
enquanto lágrimas salgadas enchem o mar.
Vivo ereto, "sim, está tudo bem"
mas o semblante mente.
E me pergunto, inocente
por que é assim a vida da gente? 


Tic-toc

Tic-toc
Toc-tic

Passa o tempo,
Está crescendo,
Quem será?
Para onde irá?
Direita ou esquerda?
Reto ou curvas?
Não sabe.
Estranho,
Logo ela que sempre soube de tudo.
Que planejou a vida,
Que quis ver tudo sendo cumprido.
Engraçado.
A beira de decisões grandes,
As pessoas se perdem,
Como ela se perdeu,
E quer se achar
Para planejar
A vida.

De novo.

Raphaela Barreto 

Mistério

“[...] Mas o coração é um mistério, e eu jamais vou entender o que aconteceu. O que sei é que aquele encontro me deixou mais confiante em mim mesma, mostrando que eu ainda era capaz de amar e ser amada, e me ensinado algo que nunca vou esquecer: quando você encontrar uma coisa importante na vida, não quer dizer que precise renunciar a todas as outras.”
Paulo Coelho,

Brida.

Amor


“[...] Porque quando se apaixonava, era capaz de aprender tudo, e conhecer coisas que nem ousava pensar, porque o amor era a chave para a compreensão de todos os mistérios. [...]”.
Paulo Coelho,
Brida


Natureza


Gosto do vento passando por mim, da forma como as borboletas voam e os pássaros cantam. Gosto de observar o sol nascer e se pôr, a coloração do céu, as formas das nuvens. Gosto de admirar os animais, ouvir o barulho dos rios, sentir cheiro da grama cortada e a terra molhada. Estremeço ao ouvir um trovão, durmo tranquila em uma tempestade, sorrio quando o céu está azul. O universo é perfeito. Gosto da natureza porque ela me faz bem. Gosto da natureza porque eu também sou ela. 

Raphaela Barreto

Mudar


Perceba cada detalhe do dia-a-dia,
Uma pequena flor em uma esquina,
Um pássaro em cima do fio.
Olhe para os olhos das pessoas e suas posturas,
Observe o sorriso de uma criança e sorria para um idoso.
Encare o céu e deixe sua alma falar por você,
Ouça o uivo do vento e o latido de um cachorro.
Ande por lugares diferentes,
Trace novas rotas,
Escolha caminhos mais longos ou mais curtos.
Sinta a vibração a sua volta,
Seja gentil e ande com a cabeça erguida.
Escreva um poema,
Leia um texto,
Compre um livro.
Coma chocolate e beba um suco.
Faça o que você não faria
E faça o que você já está acostumado a fazer,
Mas não deixe o hábito virar rotina.
Sorria.
Mude a vida de outros.

Mude a sua própria vida. 

Raphaela Barreto

Mergulhe

[...] Estava na praia com o pai, e ele pediu a ela para ver se a temperatura da água estava boa. [...]; ela foi até à beira da água e molhou os pés. “Coloquei os pés, está fria”, disse para ele. O pai pegou-a no colo, caminhou com ela até a beira do mar e, sem qualquer aviso, atirou-a dentro da água. Ela levou um susto, mas depois ficou contente com a brincadeira. “Como está a água?” perguntou novamente o pai, “Está gostosa”, respondeu Brida. “Então, daqui a para frente, quando você quiser saber alguma coisa, mergulhe nela”.
Paulo Coelho,

Brida

Outra Parte


“[...] Em certas reencarnações, nós nos dividimos. Assim como os cristais, e as estrelas, assim como as células e as plantas, também nossas almas se dividem. A nossa alma se tranforma em duas, estas novas almas se transformam em outras duas, e assim, em algumas gerações, estamos espalhados por boa parte da Terra. [...]. Fazemos parte do que os alquimistas chamam de [...] Alma do Mundo. Na verdade, se a Alma do Mundo fosse apenas se dividir, ela estaria crescendo, mas também ficando cada vez mais fraca. Por isso, assim como nos dividimos, também nos reencontramos. E este reencontro chama-se Amor. Porque quando uma alma se divide, ela sempre se divide numa parte masculina e numa parte feminina. [...] Em cada vida temos uma misteriosa obrigação de reencontrar pelo menos uma dessas Outras Partes [...]. Era possível conhecer a Outra Parte pelo brilho nos olhos – assim, desde o início dos tempos, as pessoas reconheciam seu verdadeiro amor. [...]. Podemos encontrar mais de uma Outra Parte em cada vida e quando isto acontece, o coração fica dividido e o resultado é dor e sofrimento. Podemos encontrar três ou quatro Outras Partes, porque somos muitos e estamos espalhados. [...]. A essência da Criação é uma só, e esta essência chama-se Amor. [...]. somos responsáveis por reunir de volta, pelo menos uma vez em cada encarnação, a Outra Parte que com certeza irá cruzar o nosso caminho. Mesmo que seja por instantes, apenas; porque esses instantes trazem um Amor tão intenso que justifica o resto de nossos dias.”
Brida – Paulo Coelho.

Pág. 44.

Noite Escura

“[...] Cada dia o homem é uma noite escura. Ninguém Sabe o que vai acontecer no próximo minuto, e mesmo assim as pessoas andam para frente. Porque confiam, Porque têm Fé. [...] – Importante era saber que ela havia entendido. Que cada momento na vida era um ato de fé. Que podia povoá-lo com cobras e escorpiões, ou com uma força protetora. Que a fé não tinha explicações. Era uma Noite Escura. E cabia a ela apenas aceita-la ou não.”
Paulo Coelho,
Brida


Esfriando


A cada dia sinto que estamos mudando nossas direções, eu indo para um lado, e você para outro. Pare, senta aqui e vamos conversar. Quero que toda nossa parafernália acabe, quero não poder brigar todos os dias. Quero que nosso orgulho diminua, que possamos sorrir todos os dias, ou chorar de alegria e se amar no colchão. Quero que fiquemos bem e com paciência sei que vamos ficar. Amor, o café está quente na mesa, não o deixe esfriar.

Raphaela Barreto 

Na vida de Brida

 [...] Um texto anônimo da Tradição diz que cada pessoa, em sua existência, pode ter duas atitudes: Construir ou Plantar. Os construtores podem demorar anos em suas tarefas, mas um dia terminam aquilo que estavam fazendo. Então param, e ficam limitados por suas próprias paredes. A vida perde o sentido quando a construção acaba. Mas existem os que plantam. Estes às vezes sofrem com tempestades, as estações e raramente descansam. Mas, ao contrário de um edifício, o jardim jamais para de crescer. E, ao mesmo tempo que exige a atenção do jardineiro, também permite que, para ele, a vida seja uma grande aventura. Os jardineiros se reconhecerão entre si – porque sabem que na história de cada planta, está o crescimento de toda a Terra.
Paulo Coelho,

Brida

Mude!

Mude, mas comece devagar,
porque a direção é mais importante que a
velocidade.
Sente-se em outra cadeira, no outro lado da mesa.
Mais tarde, mude de mesa.
Quando sair, procure andar pelo outro lado da rua.
Depois, mude de caminho, ande por outras ruas,
calmamente, observando com
atenção os lugares por onde você passa.

Tome outros ônibus.
Mude por uns tempos o estilo das roupas.
Dê os seus sapatos velhos.
Procure andar descalço alguns dias.
Tire uma tarde inteira para passear livremente na praia,
ou no parque, e ouvir o canto dos passarinhos.

Veja o mundo de outras perspectivas.
Abra e feche as gavetas e portas com a mão esquerda.
Durma no outro lado da cama...
Depois, procure dormir em outras camas
Assista a outros programas de tv,
compre outros jornais... leia outros livros.
Viva outros romances.
Não faça do hábito um estilo de vida.
Ame a novidade.
Durma mais tarde.
Durma mais cedo.
Aprenda uma palavra nova por dia numa outra língua.
Corrija a postura.
Coma um pouco menos, escolha comidas diferentes,
novos temperos, novas cores, novas delícias.
Tente o novo todo dia.
O novo lado, o novo método, o novo sabor,
o novo jeito, o novo prazer, o novo amor.
A nova vida.
Tente.
Busque novos amigos.
Tente novos amores.
Faça novas relações.
Almoce em outros locais,
vá a outros restaurantes,
tome outro tipo de bebida,
compre pão em outra padaria.
Almoce mais cedo,
jante mais tarde ou vice-versa.
Escolha outro mercado... outra marca de sabonete,
outro creme dental...
Tome banho em novos horários.
Use canetas de outras cores.
Vá passear em outros lugares.
Ame muito,
cada vez mais,
de modos diferentes.
Troque de bolsa, de carteira, de malas,
troque de carro, compre novos
óculos, escreva outras poesias.
Jogue os velhos relógios,
quebre delicadamente
esses horrorosos despertadores.
Abra conta em outro banco.
Vá a outros cinemas, outros cabeleireiros,
outros teatros, visite novos museus.
Mude.
Lembre-se de que a Vida é uma só.
E pense seriamente em arrumar um outro emprego,
uma nova ocupação,
um trabalho mais light, mais prazeroso,
mais digno, mais humano.
Se você não encontrar razões para ser livre, invente-as.
Seja criativo.
E aproveite para fazer uma viagem despretensiosa,
longa, se possível sem destino.
Experimente coisas novas.
Troque novamente.
Mude, de novo.
Experimente outra vez.
Você certamente conhecerá coisas melhores
e coisas piores do que as já
conhecidas, mas não é isso o que importa.
O mais importante é a mudança,
o movimento, o dinamismo, a energia.
Só o que está morto não muda !

Repito por pura alegria de viver: a salvação é pelo risco,
sem o qual a vida não vale a pena !!!

Edson Marques

Ritual

[...] – Não, não estou falando dessas coisas óbvias, falo que tudo é ritual. Assim como uma missa é um grande ritual, composto de várias partes, o dia da vida de qualquer ser humano também o é. Um ritual cuidadosamente elaborado, que ele procura executar com precisão porque tem medo de – caso quebre qualquer parte – tudo vir abaixo. O nome deste ritual é rotina.  [...] Enquanto somos jovens, nada é muito grave. Mas lentamente esse conjunto de rituais diários vai se solidificando, e passa a nos comandar. Uma vez que as coisas comecem a andar mais ou menos como imaginamos, não ousamos mais quebrar o ritual e correr riscos. Fingimos reclamar, mas nos satisfazemos com o fato de um dia ser igual ao outro. Pelo menos não existe o perigo inesperado. Desta maneira conseguimos evitar qualquer crescimento interior ou exterior, exceto aqueles já previstos pelo ritual: tantos filhos, tais promoções, tais conquistas financeiras. Quando o ritual se consolida, o homem passa a ser seu escravo [...].

Paulo Coelho,

As Valkírias.

Sonhos

[...] Dizia que tudo que o mundo precisava era de exemplos, de pessoas capazes de viver seus sonhos e lutar por suas ideias.
Paulo Coelho,

As Valkírias.

Café na poesia

“Antes que a tarde amanheça
e a noite vire dia
põe poesia no café
e café na poesia.”

— 
Paulo Leminski

Paraíso

- Como será este mundo?
 - Será apenas dos que entrarem no Paraíso – respondeu Paulo. – [...] O mundo das pessoas capazes de ver as transformações do presente, das pessoas com coragem de viver seus sonhos, escutar seus anjos. Um mundo de que acreditarem nele.
 - Paulo Coelho,

As Valkírias.

Amar


Amar não é fácil, mas ninguém o vive sem. É uma batalha todo dia, uma demonstração de paciência.  Não se tem paz na vida a dois, ou são sorrisos ou são lágrimas. É complicado e simples ao mesmo tempo e mesmo assim não deixa de ser o melhor da vida. 

Raphaela Barreto

Tentando


Ela tenta ser diferente porque alguma coisa já a cansou, porque precisa que prestem atenção nela. Finge que não liga, mas ela sabe que dói por dentro. Tenta ser a durona, mas sabe que é fraca sozinha. Debocha do amor, mas só sabe escrever sobre ele. Não sabe ser gentil, nem simpática, porque ai seria igual a todos. Perde-se em si mesma e mergulha em vinho e em livros de psicologia para tentar se achar. Ela tenta ser diferente de uma maneira diferente, mas acaba sendo iguais a todos, mas um pouquinho pior: acaba sozinha no final por não admitir quem é.

Raphaela Barreto 

Presente

Julie estava inquieta, mas não entendia o porquê. Há pouco tempo havia visto ele, e a conversa entre os dois ainda ecoava em sua mente. Ele disse que o futuro dos dois era incerto, que talvez chegasse um dia que ele não iria mais voltar, ela negou com a cabeça feito criança e disse vários nãos seguidos, Peter não podia abandona-la, mas a verdade era que os dois eram de mundos diferentes e ela sabia disso. Para ele ficar bem, ela teria que deixa-lo, mas com certeza seria sua ruína. Parece egoísmo, na verdade é, mas ela precisava tê-lo, com a certeza ou a incerteza do que o amanhã significaria, então ela tentava viver só no presente, já que o futuro significava, talvez, a não existência de Julie e Peter.

Raphaela Barreto

Quem é você - Detonautas

Você trabalha feito um burro de carga, puxando um sistema podre que é bancado com o seu suor, e sexta feira vai a igreja comungar com sua família a voz sagrada Jesus Cristo é o senhor, deixa parte do salário em retribuição, a dádiva divina da palavra do pastor, é melhor garantir um lugar no céu. Aqui nesse inferno tenta só sobreviver e o que salva é a cervejinha no fim de semana assistindo o jogo do seu time preferido na tv. Segunda-Feira o seu filho tá em casa porque a escola onde estuda, não tem nenhum professor, e o professor está na rua apanhando da polícia e tá cobrando seu salário lá do governador. Enquanto isso numa casa confortável, uma família abastada reunida, assiste televisão e praguejando fala mal de quem está na rua enfrentando e dando a cara pra lutar contra a situação. O fura fila que entrou na sua frente conseguiu ser atendido muito antes de você! E aquele cara que foi reclamar do caso chamado de barraqueiro que não tinha o que fazer, a sogra dele há semanas na espera vai pensando que já era não consegue um leito em um hospital. E na favela aquela guerra continua traficante e a polícia num controle social! Mas... Quem é você? Tu fuma um back e é chamado de financiador por um senhor que toma um uísque e bate na mulher e nego enche a cara no fim de semana, sai de carro dirigindo mata cinco puxa o carro e sai de ré. A gente gasta são 6 meses de salário dando tudo pro governo e não tem nada quase em troca, e o governo vai tomando e gastando o seu dinheiro, eles são o parafuso e você é a porca. Já foram mais 500 anos dessa história, não mudou tanto assim desde a colonização, a diferença é que hoje colonizador é aplaudido num programa de televisão. A gente acha como se por um milagre Deus no auge da bondade fosse um dia interceder, enquanto esse dia não chega a gente vai aceitando e esperando alguma coisa acontecer. Mas, me diz... Quem é você? O teu avô que trabalhou a vida inteira, Dia e noite, noite e dia até se aposentar, recebe agora uma miséria de salário, fica 10 horas na fila esperando e não pode reclamar. Mas as crianças vão crescer e o futuro do Brasil por algum dia deverá ser bem melhor, só que o problema é que as crianças estão crescendo com seus pais longe de casa e mais ninguém ao seu redor! Eu não queria te dizer mas eu vou ter que te falar, tu é esperto mas tá sendo passado pra trás e pode ser que quando tu percebas isso lá na frente já seja tarde demais!
Detonautas
Simplesmente apaixonada por essa musica, que contem tantas verdades.

Amor,


Eu vou fazer manha, tentar me mostrar durona, fechar a cara e fazer bico. Vou virar as costas quando o que eu mais quero é voltar para você e te abraçar. Vou te bater e te chamar de besta, e querer que você volte sempre, mesmo minha atitude sendo errada. Vou chorar quando você me irritar muito e vou querer que você me console depois. Mas vou te abraçar também quando menos esperar, te morder e te beijar. Não vou sair do seu lado nem quando pedir e vou cuidar de você até onde eu puder. Não vou te deixar cair, vou te apoiar em tudo e mostrar minha opinião a respeito. Vou fazer carinho em você, segurar sua mão e deitar no seu peito. Vou querer te chutar alguns dias, mas a maioria deles eu vou te amar. 

Raphaela Barreto

Presente



"[...] Porque não vivo nem no meu passado, nem no meu futuro. Tenho apenas o presente, e ele é o que me interessa. Se você puder permanecer sempre no presente, então será um homem feliz".

–  Paulo Coelho,
O Alquimista. 

As sem-razões do amor

Eu te amo porque te amo,
Não precisas ser amante,
e nem sempre sabes sê-lo.
Eu te amo porque te amo.
Amor é estado de graça
e com amor não se paga.

Amor é dado de graça,
é semeado no vento,
na cachoeira, no eclipse.
Amor foge a dicionários
e a regulamentos vários.

Eu te amo porque não amo
bastante ou demais a mim.
Porque amor não se troca,
não se conjuga nem se ama.
Porque amor é amor a nada,
feliz e forte em si mesmo.

Amor é primo da morte,
e da morte vencedor,
por mais que o matem (e matam)
a cada instante de amor.



Carlos Drummond de Andrade

Citação

"[...] As decisões eram apenas o começo de alguma coisa. Quando alguém tomava uma decisão, na verdade estava mergulhando numa correnteza poderosa, que levava a pessoa para um lugar que jamais havia sonhado na hora de decidir."
Paulo Coelho,
O Alquimista

Livros


- Não se cansas de ler?

 - Não. Os livros são como portas para outros mundos que valem a pena serem conhecidos. Coitados daqueles que vivem presos à realidade e não sabem dar asas a imaginação. Coitados daqueles que fazem de sua mente, sua própria prisão. Ás vezes você lê um livro e ele te agrega coisas, às vezes um livro simplesmente lê você. 

Raphaela Barreto

Conversando com Paulo

As pessoas aprendem muito cedo sua razão de viver. Talvez seja por isso que elas desistem tão cedo também. Mas assim é o mundo. 

 - Paulo Coelho, O Alquimista

Eu mesma


Não me prendo a nada que me defina. Sou companhia, mas posso ser solidão. Tranquilidade e inconstância, pedra e coração. Sou abraços, sorrisos, ânimo, bom humor, sarcasmo, preguiça e sono. Música alta e silêncio. Serei o que você quiser, mas só quando eu quiser. Não me limito, não sou cruel comigo! Serei sempre apego pelo que vale a pena e desapego pelo que não quer valer… Suponho que me entender não é uma questão de inteligência e sim de sentir, de entrar em contato. Ou toca, ou não toca.
É curioso não saber dizer quem sou. Quer dizer, sei-o bem, mas não posso dizer. Sobretudo tenho medo de dizer porque no momento em que tento falar não só não exprimo o que sinto como o que sinto se transforma lentamente no que eu digo.

 – Clarice Lispector

Sonhos

É justamente a possibilidade de realizar um sonho que torna a vida interessante

 - Paulo Coelho,
O Alquimista.

Combinação


O chá estava pronto sobre a mesa junto a alguns biscoitos. Ela, sentada na cadeira, usava um shorts de dormir e minha camisa xadrez aberta, era a preferida dela, a expressão estava distante, o pensamento voava e a preocupação começava a formar rugas em sua testa. Fui até ela e ela me fitou com aqueles grandes olhos negros, ela estava preocupada com o que viria a seguir, com o que a vida teria planejado para nós dois e sobre o que o futuro diria. Puxei a para mais perto e a abracei, eu iria sempre conforta-la, cuidar dela e fazê-la sorrir. Sussurrei em seu ouvido “na vida tudo se encaixa”. E se encaixava mesmo, cada qual com sua peça, e o maior exemplo disso era nós dois, diferentes, mas com a combinação e o encaixe perfeito. 

Raphaela Barreto.

Melhor


Quando se trata de você, não sei usar poucas palavras ou escrever metade do que eu sinto, quando se trata de você, palavras, sons, momentos e sensações vão surgindo na minha mente e então eu escrevo tudo e quando releio vejo que faltou alguma coisa ainda. Quando se trata de você, sou tudo, sou inteiramente sua, sou alguém e tenho um motivo para sorrir todos os dias. Você não me faz desistir, me faz querer seguir sempre em frente e me mostra que eu tenho alguém para poder contar tudo. Tenho alguém para fazer da minha vida, uma vida melhor. 

Raphaela Barreto
Eu sei que está se tornando clichê eu escrever de amor, mas calma gente.

Amor


É incrível como eu me apaixono por você cada vez mais, mesmo já te amando. Em cada vírgula desenhada está uma surpresa sua, um alguém que mesmo sem saber eu sempre procurei. Uma pessoa, sem medir palavras, excepcional. A forma como pensa, age, fala e até anda me fascina. Sempre procurei o “errado” ou o “diferente” para tentar fugir dos padrões impostos pela sociedade, e você é o meu errado mais certo. Em você me encontro, me sinto eu mesma, sei que posso confiar e não tenho medo de tentar ser feliz. Você me faz ser uma pessoa melhor e é muito mais do que os olhos podem ver e eu enxergo em você, o que os outros fecham os olhos para não verem. 

Raphaela Barreto

Escuro

Sim, minha força está na solidão. Não tenho medo nem de chuvas tempestivas nem das grandes ventanias soltas, pois eu também sou o escuro da noite. Embora não aguente bem ouvir um assovio no escuro e passos. Escuridão? Lembro-me de uma namorada: era moça – mulher e que escuridão dentro de seu corpo. Nunca esqueci. Jamais se esquece a pessoa com quem dormiu. O acontecimento fica tatuado em marca de fogo na carne viva e todos os que percebem o estigma fogem com horror.

Clarice Lispector

Você


Ter você me faz querer viver. É como um escritor que precisa das palavras, é como um padeiro que precisa da massa pra fazer o pão, é como um sorveteiro que precisa do sorvete, é como a vida que precisa de oxigênio. Clichê. Clichê meu sentimento por você, mas é pelo clichê que ando vivendo ultimamente. Melhor ainda é saber que esse amor não me faz sofrer, e sim, me faz se sentir completa. Ai volta o clichê de novo: pensar em você vinte e quatro horas por dia, dormir pensando em você, sorrir pensando em você… Fazer o que se você me faz se sentir assim: renovada. Me faz querer ter pra sempre os seus sorrisos, os seus chamegos, as suas birras, os seus ciúmes, as suas brincadeiras, as suas manhas e principalmente o seu amor. Você é diferente. Eu sinto isso. Sinto que temos muitas coisas pela frente, e vamos sempre continuar com os nossos momentos clichês, que querendo ou não, são os melhores. Posso dizer que você é a melhor pessoa que apareceu na minha vida.

Humano


A sociedade é injusta por julgar-nos, criar padrões, idealizar beleza, querer decidir por nós. É injusta por criticar, por fazer nos ser quem não queremos, ou fazer a gente pensar que é aquilo que queremos ser. O mundo é injusto por pensar só em dinheiro, por ligar dinheiro a felicidade e por fazer com que pessoas se sintam inferiores que outras. É injusto por isolar aqueles que denominam diferentes dos robôs escravizados que encontramos em qualquer lugar. Não posso dizer que o mundo é cem por cento injusto, mas está ficando cada vez mais difícil achar algo na maioria das pessoas pela qual valha a pena lutar. E o que o ser humano mais aspira, é tornar-se humano.

Raphaela Barreto

Valores


Sempre deixamos de fazer algo por algum medo besta, ou porque ligamos para o que as pessoas/sociedade vão achar. A vida é uma só para viver conforme os outros dizem, o melhor daqui é fazer histórias e loucuras e não se preocupar com os zeros da conta bancária. Temos que nos permitir fazer o que quisermos, viver intensamente e deixar a felicidade invadir-nos. Nós damos valores às coisas erradas, podemos sorrir com o simples e ser feliz com o que quisermos. A vida e o amor são simples, os humanos que gostam de complicar e dar voltas e voltas para algo que tem um caminho reto e fácil. 

Raphaela Barreto

Noventa e cinco


Ela: Que tal cem anos?
Ele: Cem anos é muito tempo, pode ser noventa?
Ela: Não, noventa e cinco então – meio termo.
Ele: Para mim está ótimo, me acompanha até lá?
Ela: (sorriso) Com toda certeza, sim.  

Fragmentos de um diálogo apaixonado sobre o futuro.
Raphaela Barreto

Meu


É como se já nos pertencêssemos há tempos, é estranho, engraçado e extasiante. Quando estou com você não quero ir embora, e cinco minutos depois que eu o faço, já estou com saudade. Durmo e acordo pensando em você, querendo estar perdida no teu abraço e encontrar-nos sorrindo de prazer. Sei que tudo isso soa meio clichê, mas você me completa. Temos tanto a aprender ainda, eu mais que você, e o caminho é longo e eu quero passar por esse caminho com você ao meu lado, segurando firme e forte minha mão – vamos aproveitar e passar por tudo juntos, e ser, o mais importante, felizes.  

Raphaela Barreto

De segunda a segunda


Vou te amar de segunda a segunda,
De Janeiro a janeiro,
Fazendo frio ou calor,
Geando ou pegando fogo.
Vou te amar numa casa,
Numa rua ensolarada,
Na esquina de um barzinho,
Ou no frio de uma escada.
Vou te amar de perto ou longe,
Na cama ou no sofá,
Na cozinha, no banheiro, na garagem,
Até no porão se você quiser.
Vou te amar de moletom,
Blusinha de calor,
Shorts jeans
E roupa nenhuma também.
Vou te amar
Em qualquer lugar,
Sem mais nem menos,
Por seu jeito,
Simplesmente por ser você,
Eu vou te amar.

Raphaela Barreto

Mãe


Ela que ama, que cuida, que daria a vida.
Que carrega no ventre a semente da vida,
Que não liga para a dor,
Que sorri,
Que fica em êxtase só por ver o sorriso dele.
Ela que acorda no meio da noite para alimentar,
Para limpar,
Para amar,
Incondicionalmente.
Ela, mãe.
Que protege, que dá carinho, que estará lá para tudo.
Ela que ama,
Brinca, desbrinca, arruma a bagunça e bagunça junto.
Faz a comida, arruma a cama, limpa a roupa e prepara a vida.
Abraça, beija, faz cócegas, pega no colo, nina e mima.
Ela que ama e entende que ser mãe,
É uma das melhores coisas da vida. 

Raphaela Barreto

Soneto de Fidelidade - Vinicius de Moraes


De tudo ao meu amor serei atento
Antes, e com tal zelo, e sempre, e tanto
Que mesmo em face do maior encanto
Dele se encante mais meu pensamento.

Quero vivê-lo em cada vão momento
E em seu louvor hei de espalhar meu canto
E rir meu riso e derramar meu pranto
Ao seu pesar ou seu contentamento

E assim, quando mais tarde me procure
Quem sabe a morte, angústia de quem vive
Quem sabe a solidão, fim de quem ama

Eu possa me dizer do amor (que tive):
Que não seja imortal, posto que é chama
Mas que seja infinito enquanto dure.

 - Vinicius de Moraes

Elegia quase uma ode

[...] Ó, quem me dera não sonhar mais nunca
Nada ter de tristezas nem saudades
Ser apenas Moraes sem ser Vinicius!
Ah, pudesse eu jamais, me levantando
Espiar a janela sem paisagem
O céu sem tempo e o tempo sem memória!
Que hei de fazer de mim que sofro tudo
Anjo e demônio, angústias e alegrias
Que peco contra mim e contra Deus!
Às vezes me parece que me olhando
Ele dirá, do seu celeste abrigo:
Fui cruel por demais com esse menino...
No entanto, que outro olhar de piedade
Curará neste mundo as minhas chagas?
Sou fraco e forte, venço a vida: breve
Perco tudo; breve, não posso mais...
Oh, natureza humana, que desgraça!
Se soubesses que força, que loucura
São todos os teus gestos de pureza
Contra uma carne tão alucinada!
Se soubesses o impulso que te impele
Nestas quatro paredes de minha alma
Nem sei o que seria deste pobre
Que te arrasta sem dar um só gemido!
É muito triste se sofrer tão moço
Sabendo que não há nenhum remédio
E se tendo que ver a cada instante
Que é assim mesmo, que mais tarde passa
Que sorrir é questão de paciência
E que a aventura é que governa a vida
Ó ideal misérrimo, te quero:
Sentir-me apenas homem e não poeta! [...]

– Vinicius de Moraes

Simplesmente


De todas as palavras ditas, só de uma boca importa. De todos os abraços que eu poderia receber, só o seu eu quero. De todos os sorrisos, quero que o seu me pertença, pois o meu já é seu. De todos os caminhos quero estar com você. De tudo o que escolhi, escolhi estar com você. Você. Do jeitinho que você é, sem mais, nem menos. Com seus defeitos e qualidades, assim tão você. Me encontrando em ti e sendo quem eu também queria ser. Gravando-te em mim, simples assim. Amando-te simplesmente por ser você.
Raphaela Barreto

A musica das Almas


Na manhã infinita as nuvens surgiram como a loucura numa alma
E o vento como o instinto desceu os braços das árvores que estrangularam a terra...
Depois veio a claridade, o grande céu, a paz dos campos...
Mas nos caminhos todos choravam com os rostos levados para o alto
Porque a vida tinha misteriosamente passado na tormenta.

– Vinicius de Moraes

Verbo ser

Que vai ser quando crescer?
Vivem perguntando em redor. Que é ser?
É ter um corpo, um jeito, um nome?
Tenho os três. E sou?
Tenho de mudar quando crescer? Usar outro nome, corpo e jeito?
Ou a gente só principia a ser quando cresce?
É terrível, ser? Dói? É bom? É triste?
Ser; pronunciado tão depressa, e cabe tantas coisas?
Repito: Ser, Ser, Ser. Er. R.
Que vou ser quando crescer?
Sou obrigado a? Posso escolher?
Não dá para entender. Não vou ser.
Vou crescer assim mesmo.
Sem ser.
Esquecer.

Carlos Drummond de Andrade

Essência


Crescemos ouvindo histórias de amor verdadeiro e felicidade, mas esqueceram de nos falar o caminho a ser seguido, ou como isso pode perder a importância quando se vira adulto. Quando crianças damos tanto valor as coisas simples e maravilhosas, a verdadeira felicidade que pode surgir do sorriso alheio e a um abraço amigo. E ao crescer passamos a dar valor a números bancários e a mediocridade, o ser humano aspira por amor, mas se dedica aos valores, contas, impostos, compras – consumismo. Esquece-se de sua verdadeira essência, perde a decência, dedica-se ao nada e diz que é feliz por estar na moda. Não, isso não é felicidade. Números não são felicidades. O sol no horizonte, um sorriso, um abraço, amor, isso sim é felicidade. Ajudar o próximo é felicidade. Capitalismo e rotinas deixam você ao avesso, te transformam em quem você não queria, implantam algo em você que traz mais sofrimento do que alegrias. Temos que crescer, isso é fato, mas não podemos deixar de ser crianças por dentro, só uma criança sabe viver e sabe dar valor ao que realmente deve ser valorizado.

Oposto


Um o oposto do outro, mas iguais ao mesmo tempo. O que faltava nela encontrava-se nele. O melhor dele estava nela. Metades indiferentes que se completavam. Ambos perdidos que se encontravam. O sorriso de um encaixava no outro onde o olhar cálido se juntava. Diferentes, mas iguais. Distantes, mas unidos. Juntos. Sempre Juntos deixando suas metades se completarem. 

Me desperta

Ele desperta, me atrai, me abstrai e me prende a atenção.
O lado que não posso revelar está nele, meus desejos, instintos e vontades.
Vontade de ser diferente, mas manter essa essência.
Essência que demorou anos para ser criada atrás de uma máscara.
Máscara de durona que por trás tem uma garotinha.
Uma garotinha que gosta do errado.
O errado que está nele.
Ele que a ama, que a prende, que a chama de sua.
Sua garotinha.
Seu amor.
Amor que cresce em duas vias.
Que alimenta duas vidas.
Um o oposto do outro nas entrelinhas.
Mas eu sou ele e ele sou eu.
E eu amo.
E ele gosta.
E ele é de um jeito e eu de outro.
Um jeito diferente, que prende, que fascina.
Que instiga.
Instiga meu interior a ser quem eu queria.
Como queria.
Não ser a bonequinha.
Menina.
Me nina.
Me transforma.
Me ama.
Me muda.
E ele desperta.
E me desperta.

Meu errado


E ao mesmo tempo em que ele me ganha, ele me perde. Um passo em minha direção e dois para trás e um impasse se forma. Quero distância, mas o quero também. Quero me libertar das dúvidas, mas desejo os lábios e o abraço dele. Uma briga interna se forma, sei que é clichê, mas é o cérebro contra o coração. A voz da razão contra a da paixão. E qual lado escolher? Pergunto-me todo dia isso, mas as barreiras criadas sempre caem ao vê-lo. Eu me derreto, eu me entrego. Gravo-o em mim. E me apaixono sempre um pouquinho mais pelo meu errado. Meu errado que por entrelinhas se torna certo e que não vai ouvir a razão.

Completar


O olhar travesso dela denunciava o desejo de ambos. A noite era fria, mas havia calor no quarto. Ele sorriu e a puxou para mais perto, um corpo tocando o outro. O sorriso aparecia com os lábios ocupados, um esquentando o outro como agasalhos desnudos. Onde um começava o outro terminava, e cada um com sua metade, completavam-se.

Me nina


Me nina
me abraça
me abra
me acalma
me afaga
me ajoelha
me beija
me cala
me canta
me deseja
me deita
me delira
me devora
me embala
me entrega
me escreva
me esfrega
me esquenta
me fala
me joga
me inspira
me morda
me mostra
me molha
me nina
me olha
me provoca
me rima
me rodeia
me rodopia
me toca
me pega
me prenda
me prova
me versa
me vicia
me sacia
me nina.