Simplesmente


De todas as palavras ditas, só de uma boca importa. De todos os abraços que eu poderia receber, só o seu eu quero. De todos os sorrisos, quero que o seu me pertença, pois o meu já é seu. De todos os caminhos quero estar com você. De tudo o que escolhi, escolhi estar com você. Você. Do jeitinho que você é, sem mais, nem menos. Com seus defeitos e qualidades, assim tão você. Me encontrando em ti e sendo quem eu também queria ser. Gravando-te em mim, simples assim. Amando-te simplesmente por ser você.
Raphaela Barreto

A musica das Almas


Na manhã infinita as nuvens surgiram como a loucura numa alma
E o vento como o instinto desceu os braços das árvores que estrangularam a terra...
Depois veio a claridade, o grande céu, a paz dos campos...
Mas nos caminhos todos choravam com os rostos levados para o alto
Porque a vida tinha misteriosamente passado na tormenta.

– Vinicius de Moraes

Verbo ser

Que vai ser quando crescer?
Vivem perguntando em redor. Que é ser?
É ter um corpo, um jeito, um nome?
Tenho os três. E sou?
Tenho de mudar quando crescer? Usar outro nome, corpo e jeito?
Ou a gente só principia a ser quando cresce?
É terrível, ser? Dói? É bom? É triste?
Ser; pronunciado tão depressa, e cabe tantas coisas?
Repito: Ser, Ser, Ser. Er. R.
Que vou ser quando crescer?
Sou obrigado a? Posso escolher?
Não dá para entender. Não vou ser.
Vou crescer assim mesmo.
Sem ser.
Esquecer.

Carlos Drummond de Andrade

Essência


Crescemos ouvindo histórias de amor verdadeiro e felicidade, mas esqueceram de nos falar o caminho a ser seguido, ou como isso pode perder a importância quando se vira adulto. Quando crianças damos tanto valor as coisas simples e maravilhosas, a verdadeira felicidade que pode surgir do sorriso alheio e a um abraço amigo. E ao crescer passamos a dar valor a números bancários e a mediocridade, o ser humano aspira por amor, mas se dedica aos valores, contas, impostos, compras – consumismo. Esquece-se de sua verdadeira essência, perde a decência, dedica-se ao nada e diz que é feliz por estar na moda. Não, isso não é felicidade. Números não são felicidades. O sol no horizonte, um sorriso, um abraço, amor, isso sim é felicidade. Ajudar o próximo é felicidade. Capitalismo e rotinas deixam você ao avesso, te transformam em quem você não queria, implantam algo em você que traz mais sofrimento do que alegrias. Temos que crescer, isso é fato, mas não podemos deixar de ser crianças por dentro, só uma criança sabe viver e sabe dar valor ao que realmente deve ser valorizado.

Oposto


Um o oposto do outro, mas iguais ao mesmo tempo. O que faltava nela encontrava-se nele. O melhor dele estava nela. Metades indiferentes que se completavam. Ambos perdidos que se encontravam. O sorriso de um encaixava no outro onde o olhar cálido se juntava. Diferentes, mas iguais. Distantes, mas unidos. Juntos. Sempre Juntos deixando suas metades se completarem. 

Me desperta

Ele desperta, me atrai, me abstrai e me prende a atenção.
O lado que não posso revelar está nele, meus desejos, instintos e vontades.
Vontade de ser diferente, mas manter essa essência.
Essência que demorou anos para ser criada atrás de uma máscara.
Máscara de durona que por trás tem uma garotinha.
Uma garotinha que gosta do errado.
O errado que está nele.
Ele que a ama, que a prende, que a chama de sua.
Sua garotinha.
Seu amor.
Amor que cresce em duas vias.
Que alimenta duas vidas.
Um o oposto do outro nas entrelinhas.
Mas eu sou ele e ele sou eu.
E eu amo.
E ele gosta.
E ele é de um jeito e eu de outro.
Um jeito diferente, que prende, que fascina.
Que instiga.
Instiga meu interior a ser quem eu queria.
Como queria.
Não ser a bonequinha.
Menina.
Me nina.
Me transforma.
Me ama.
Me muda.
E ele desperta.
E me desperta.

Meu errado


E ao mesmo tempo em que ele me ganha, ele me perde. Um passo em minha direção e dois para trás e um impasse se forma. Quero distância, mas o quero também. Quero me libertar das dúvidas, mas desejo os lábios e o abraço dele. Uma briga interna se forma, sei que é clichê, mas é o cérebro contra o coração. A voz da razão contra a da paixão. E qual lado escolher? Pergunto-me todo dia isso, mas as barreiras criadas sempre caem ao vê-lo. Eu me derreto, eu me entrego. Gravo-o em mim. E me apaixono sempre um pouquinho mais pelo meu errado. Meu errado que por entrelinhas se torna certo e que não vai ouvir a razão.

Completar


O olhar travesso dela denunciava o desejo de ambos. A noite era fria, mas havia calor no quarto. Ele sorriu e a puxou para mais perto, um corpo tocando o outro. O sorriso aparecia com os lábios ocupados, um esquentando o outro como agasalhos desnudos. Onde um começava o outro terminava, e cada um com sua metade, completavam-se.

Me nina


Me nina
me abraça
me abra
me acalma
me afaga
me ajoelha
me beija
me cala
me canta
me deseja
me deita
me delira
me devora
me embala
me entrega
me escreva
me esfrega
me esquenta
me fala
me joga
me inspira
me morda
me mostra
me molha
me nina
me olha
me provoca
me rima
me rodeia
me rodopia
me toca
me pega
me prenda
me prova
me versa
me vicia
me sacia
me nina.

Longe


A noite estava fria e cada rajada de vento fazia seus corpos tremerem. Ela se agarrava a ele como se fosse a ultima coisa a fazer no mundo, e ele a embalava tentando aquecer a si próprio também. Estavam felizes. Mas isso uma hora acaba. Uma palavra errada dita por ela fez as paredes e muros se erguerem. O frio aumentou. Ele não proferia uma palavra, ela tentava achar soluções e o orgulho crescia. Ele deu um beijo no rosto dela e começou a se afastar, deixando-a ali sozinha. Cada passo dele era uma lágrima dela. Ele foi embora, e ela estava sozinha. Orgulho idiota – pensou ambos separados. E sozinhos cada um foi para um lado deixando que o frio e a escuridão da noite os envolvessem.