Madrugada de Inverno

Jullie estava se preparando para dormir. Ela foi até a janela para fecha-la, mas mudou de idéia ao chegar no parapeito - a lua estava linda. Era lua cheia. Jullie ficou lá observando-a, automaticamente pensando em Peter. Sorriu com uma lágrima no rosto. Fazia tempo que não o via, tempo que não tinha noticias e tempo que não sonhava com ele. Jullie estava começando a ficar preocupada. "Será que ele está bem? E onde será que ele está?" - perguntava-se ela. Peter - sussurrou para a lua, porque uma certeza ela tinha, onde quer que Peter estivesse, estaria debaixo da mesma lua que ela observava agora, e ela sabia, que ele também estava pensando nela - não sabia como explicar, só sabia e sentia. Jullie olhou para a pulseira que ele lhe dera, estava mais brilhante essa noite e isso a fez sorrir mais uma vez. Jullie deu um ultimo suspiro, fechou a janela e deitou na cama. Não demorou muito para adentrar no incosciente, e para sua sorte e felicidade, sonhou com Peter, e este dizia que estava tudo bem. E na madrugada de inverno, no quarto escuro, podia se ver um sorriso brotar no rosto de Jullie.

Nenhum comentário

Postar um comentário