Frio


O frio rugia ao redor deles enquanto tremiam. Ela andou na direção dele com a respiração trêmula, cada expiração uma fumacinha saindo pelo nariz. Ele estendeu os braços desnudos e a envolveu, ambos gelados na noite de lua cheia. Ele a abraçou forte e ela se agarrou a ele como se fosse a ultima coisa a fazer no mundo – e talvez fosse. Formavam um conjunto de braços e calor humano tentando se aquecer, um emaranhado de frio e sentimento. Ela olhou para os olhos castanhos dele e sorriu, uma piada aqui e outra lá, diziam apelidos um para o outro. O calor de um ia esquentando o outro e de longe se via dois formando um só.

Nenhum comentário

Postar um comentário