Perfeição


Rafael a olhou nos olhos, aqueles olhos tão grandes e pretos que adquiriam um tom diferente a luz, e sorriu. Entrelaçou as mãos em seus cabelos e a puxou para perto. Sentiu primeiro seu perfume, depois o calor de seu corpo e finalmente o toque. Seus lábios macios se moldaram aos delas formando uma sinfonia completa, era como se houvesse música em meio ao silêncio. Sua mão dançava pelo corpo dela e ela não perdia os passos. Um se entrelaçava ao outro sabendo o tempo exato em que agir, sabendo a hora certa de parar. A música perfeita era tocada e os passos antes nunca ensaiados saíam como profissionais, as batidas dos corações revelavam a sintonia entre eles. Finalmente um dueto havia sido montado, onde um terminava o outro começava, e no escuro da noite pode se ouvir uma harpa lá fora em meio à respiração entrecorta aqui dentro, mostrando que tudo estava completo, a perfeição havia sido atingida.

Nenhum comentário

Postar um comentário