Amor


Olhei-o e nossos olhares se encontraram, eu estava sorrindo e a expressão dele era tranquila. Ele estava bem ali na minha frente, mas a distância era infinita. Queria quebrar aquela barreira, colocar a cabeça dele no meu colo e lhe fazer carinho. Olhar em seus olhos e deslizar suavemente minha mão pelo seu rosto. Queria cuidar dele. E observando o cenário em que me encontrava, o que mais queria mesmo, era estar dentro do abraço dele, sentindo me protegida e esquecer todos os problemas mundanos. Lagrimas me vieram aos olhos, mandei elas recuarem, mas tarde lidaria com elas, agora não. Continuei a sorrir enquanto por dentro uma tempestade ia se formando. Maldita saudade, lembranças e nostalgia

2 comentários

  1. Nostalgia sempre brincando conosco.

    ResponderExcluir
  2. Oi Rapha, tudo bem? Obrigada pelo carinho com o meu blog, essa coisa de saudades é sempre muito complicado. A nostalgia taambém tem me visitado muito, quase todo dia. Escrevi mais um teto sobre isso, espero sua visita por lá, e espero que goste.
    Beeeeijos

    http://venenosemacas.blogspot.com.br

    ResponderExcluir